Sua versão do navegador está desatualizado. Recomendamos que você atualize seu navegador para uma versão mais recente.

 

 

Grupo de Pesquisa ICIOGrupo de Pesquisa ICIO

 

 

 

Campos assinalados com * são obrigatórios.

 

 

 

FacebookFacebook

 

LinkedinLinkedin

 

SkypeSkype

 

TwitterTwitter

 

RedditReddit

  

As bibliotecas e os arquivos são componentes essenciais para estratégias que visam a promover o acesso à informação, tanto para o público em geral quanto para grupos especializados. Desde sua criação, a UNESCO apóia o fortalecimento desses tipos de serviço.

 

O desenvolvimento das tecnologias de informação, particularmente o da Internet, vem criando um ambiente completamente novo, que torna necessário haver uma ampla revisão do papel dos serviços de informação tradicionais. O potencial das redes, da cooperação e da digitalização modificam substancialmente as funções de adquirir, arquivar e disseminar a informação e o conhecimento. Atenção especial deve ser dedicada aos países menos desenvolvidos, para que não fiquem excluídos dos avanços tecnológicos.

 

Programas Internacionais


Records and Archives Management Programme (RAMP), estabelecido em 1979, visa a: 

  • Conscientizar o público em geral e tomadores de decisão sobre a importância dos registros e arquivos para o planejamento e desenvolvimento da salvaguarda do patrimônio nacional;
  • Apoiar os Estados-membros no estabelecimento de infraestruturas de gestão de registros e arquivos eficientes por meio de padronização, legislação arquivística, treinamento e melhoria de infraestrutura (prédios e equipamentos);
  • Promover debates internacionais sobre as principais questões na área de Arquivologia. 

A UNESCO estabeleceu o Programa Memória do Mundo (Memory of the World Programme) em 1992. A iniciativa originou-se da conscientização em relação as condições lamentáveis de preservação e acesso ao patrimônio documental em várias partes do mundo. Guerras e conflitos sociais, bem como a falta de recursos, fizeram com que piorassem os problemas existentes há vários séculos. Coleções de grande importância ao redor do mundo têm sofrido vários danos, como: saques, tráfico ilegal e dispersivo, destruição, arquivamento e investimento inadequados. Muitas coleções já se perderam para sempre e outras estão ameaçadas de extinção mas, felizmente, alguns patrimônios documentais são às vezes redescobertos.

A visão do Programa Memória do Mundo é de que o patrimônio documental do mundo pertence a todos, e deve ser completamente preservado e protegido por todos, e com o devido respeito por hábitos e práticas culturais, devem ser permanentemente acessíveis a todos sem obstáculos.

A UNESCO e 32 instituições parceiras lançaram, em 21 de abril de 2009 a Biblioteca Digital Mundial (World Digital Library), um site que  abriga materiais culturais de bibliotecas e arquivos do mundo todo. O site inclui manuscritos, mapas, obras raras, filmes, áudios, impressos e fotografias. Provê acesso público, irrestrito e gratuito a esses materiais.

A UNESCO promove o fluxo livre à todas as formas de conhecimento sobre educação, ciência, cultura e comunicação. As bibliotecas sempre fizeram parte do trabalho da UNESCO na promoção do acesso universal ao conhecimento.

A Organização é especialmente comprometida em apoiar a Biblioteca Mundial Digital para que ela se expanda e cresça mundialmente, já que promove educação, pesquisa e trocas por meio de melhoria e crescimento da disponibilidade  de conteúdos na Internet.

Os esforços da UNESCO se concentram em fortalecer o poder do conhecimento e da informação para promover o desenvolvimento e evitar  a exclusão do conhecimento, o que se refere às falhas existentes nos quatro pilares da Sociedades do Conhecimento: criação de conhecimento, preservação de conhecimento, compartilhamento de conhecimento e aplicação de conhecimento. As bibliotecas, especialmente as bibliotecas digitais, estão verdadeiramente no cerne da Sociedades do Conhecimento, pois possibilitam às pessoas o acesso, o compartilhamento e a aplicação do conhecimento.


Fonte: http://www.unesco.org/new/en/communication-and-information/resources/publications-and-communication-materials/publications/full-list/science-in-the-information-society/

 

Sobre a Seção de Gestão do Conhecimento da IFLA


Escopo
O interesse crescente na gestão do conhecimento (GC) pela comunidade IFLA foi confirmado pela aprovação da Seção de Gestão do Conhecimento no âmbito da IFLA, em dezembro de 2003. A Seção GC é uma unidade da Divisão IFLA III (Serviços de Biblioteca). Com o crescente interesse na implementação da gestão do conhecimento em ambientes de informação, cujos profissionais da área expressaram a necessidade de uma compreensão mais profunda das muitas dimensões da GC e sua relevância para seu trabalho. A Seção GC IFLA cria mecanismos para facilitar a aplicação da GC nas bibliotecas, desenvolvendo um programa de atividades que apóia os profissionais da informação para implementar a GC em suas próprias organizações.

Definição de trabalho da gestão do conhecimento
GC é um processo de criação, armazenamento, compartilhamento, aplicação e reuso do conhecimento organizacional, visando à organização atingir suas metas e objetivos. A GC está estendendo o conceito de 'conhecimento' além dos conceitos já existentes, como 'memória', 'armazenagem' e 'informação'. O termo abrange áreas como o conhecimento tácito (conhecimento), o conhecimento implícito (experiências vivenciadas), conhecimento explícito (informação) e conhecimento processual (aprendizagem).

Missão 
GC engloba muitas dimensões da gestão organizacional e as atividades da Seção são destinadas a refletir isso, fornecendo uma ampla plataforma de atividades integradas, através do trabalho em cooperação com outras divisões da IFLA e organizações profissionais.

Objetivos

  • Apoiar a implementação da cultura de GC em bibliotecas e ambientes de informação;
  • Fornecer uma plataforma internacional para profissionais de comunicação e compreensão da importância da GC para bibliotecários e suas organizações;
  • Acompanhar a evolução da GC e promover a sua aplicação prática no seio da comunidade IFLA.

Para atender à demanda dos bibliotecários para melhorar suas habilidades no ambiente de trabalho em constante mudança, a Seção visa proporcionar conhecimentos teóricos e práticos nas áreas de GC, tais como: 

  • Compartilhamento de conhecimento;
  • Medidas de melhoria de desempenho, sendo orientada para o valor ao invés de apenas orientada à serviços;
  • Explorar os prós e contras da implementação da GC;
  • Utilizar a comunicação interativa em ambientes de informação para aumentar o compartilhamento de conhecimento.

Atividades 
A Seção de GC da ILFA pretende trabalhar em colaboração com outros setores para desenvolver programas que se concentram em vários aspectos da GC, e explorar áreas de interesse mútuo, por exemplo, educação e formação, desenvolvimento profissional, teorias e metodologias, comunicação intercultural, desenvolvimento organizacional; TI e mídia. Além disso, trabalhar as 'melhores práticas', exemplos e estudos de caso para fazer a GC aplicável à uma ampla gama de profissionais da informação em bibliotecas e centros de informação, em todo o mundo. Investigar como as associações profissionais influenciam e apoiam a implementação da GC em bibliotecas e ambientes de informação. E, por último, elaborar um website da Seção GC como um repositório de informação, bem como uma lista de discussão sobre GC, que serve para a comunicação e distribuição de informações relevantes aos membros da seção.


Fonte: http://www.ifla.org/en/about-the-km-section